AGORA É A VEZ DO PEQUENO NEGÓCIO PRÓPRIO

Chegamos naquele ponto que precisamos repensar nossas vidas, o país parou para refletir, está confuso demais, doente demais em vários aspectos, o povo sem expectativa de futuro para economia, educação, família e trabalho; agora é a hora de juntar a família para começar um pequeno negócio próprio.

Precisa-se reunir todos os membros da casa, mesmo os empregados, desempregados, aposentados e os jovens estudantes, para discutir seriamente sobre um negócio própria que atenda a todos, pois todos devem contribuir com seus esforços, por menor que seja para dar certo e ter sucesso.

Nós brasileiros temos vergonha de ficar desempregados ou fazer trabalhos de menor relevância ou procurar um emprego com menor salário do que estávamos ganhando, mas é o que vai acontecer a partir do término da quarentena, muitos perderão seus empregos, se é que já não os perderam; as empresas fecharão suas atividades por falta de caixa ou por falta de planejamento para aguentar uma crise, aquelas ferramentas que são necessários para um negócio, mesmo que pequeno; Onde abrir seu negócio, quem serão seus clientes, depois de aberto, fazer controles internos como fluxo de caixa, controle de estoques, controle de qualidade do produto ou serviço, atendimento ao cliente, pré e pós venda, garimpagem de novos clientes, previsão de vendas e outros mais.

Vamos rever nossos conceitos, será como um pós guerra, teremos que nos reinventar, criar novos modelos de negócios, observarmos os novos costumes e comportamento das pessoas e dos clientes, todos ficaram um pouco mais pobres ou exigentes ou mesmo cautelosos, com o consumo, com a qualidade, com o preço e com a maneira de comprar.

Não espere mais tempo, os governos ou autoridades só irão dificultar sua vida, foi sempre assim e não será diferente agora; mas como começar a planejar com a família?

1. Liste as coisas que gosta de fazer ou a família tem experiência.

2. Decida então o que você quer fazer.

3. Defina quanto tempo cada membro da família tem disponível para desenvolver a atividade.

4. Aprenda o básico de informática ou utilize um da família que tem essa habilidade

5. Tenha um espaço exclusivo para o trabalho, mesmo que pequeno.

6. Comece na informalidade até ter a certeza do escolhido, ouconsulte um escritório de contabilidade ou órgãos públicos sobre os trâmites legais, licenças, impostos e procure formalizar sua empresa, ou o enquadramento no MEI ou no Simples Nacional.

7. Desenvolva um pequeno plano de negócios e as estratégias de marketing para seu negócio, no site do Sebrae tem muita informação de como fazer.

8. Não misture as finanças pessoais com as do negócio.

9. Reinvista parte dos seus ganhos na melhoria ou modernização de seu negócio.

10. Trabalhar em casa não significa trabalhar menos.

11. Não venda só para um cliente, se ele mudar ou deixar de comprar, você quebra.

12. Cuidado com a disciplina e a atitude.

13. Faça algo diferenciado ou criativo do que já tem no mercado.

Segue algumas sugestões de pequenos negócios em família

  1. Bolos, doces e salgadinhos
  2. Comida congelada
  3. Geleias em conservas
  4. Conservas de pepinos e repolhos
  5. Temperos com ervas especiais para salada
  6. Verduras e legumes embalados e higienizados a vácuo.
  7. Churrasquinhos
  8. Cachorro Quente
  9. Linguiças caseiras
  10. Marmitas Saudáveis pronta entrega
  11. Velas, sabonetes artesanais e lembrancinhas para maternidade.
  12. Perfumes artesanais
  13. Produtos de Limpeza líquido
  14. Bijuterias ecológicas ou finas
  15. Micros destilarias (Cachaças, cervejas e outros destilados)
  16. Máquinas de estampar camisetas, chinelos, sacolas, canecas, etc.
  17. Confecção de máscaras e fraldas
  18. Brechó

A finalidade é dar uma provocada na sua imaginação, mas verifique as regras do seu condomínio, sobre circulação de pessoas barulhos e cheiros que incomodam ou restrições sobre negócios caseiros.

Muitas atividades citadas acima são realizadas fora de casa, mas a recomendação é de que o escritório fique sediado no home office, onde é possível guardar documentos, licenças, ter um telefone fixo para contato, endereço para correspondências comerciais, etc.

Todos os ofícios que envolvem elaboração de alimentos devem seguir regras específicas de higiene para seu preparo e armazenamento. Consulte a cartilha da Anvisa.

Autor: Claudio Raza; provocador do conhecimento e gestor de negócios. c.raza@terra.com.br

Escreva um comentário