CONTROLADORIA A FONTE DE INFORMAÇÕES PARA TOMADA DE DECISÕES

Nas empresas muitas decisões são tomadas sem a devida consulta ou apoio da fonte de informações a Controladoria ou ao “Controller”, que detêm as mais importantes informações da empresa.

A missão da Controladoria dentre outras é zelar pela continuidade da empresa assegurando a otimização do resultado global.

É um órgão de Gestão Empresarial que irá garantir informações adequadas ao processo decisório corporativo colaborando com os gestores na busca da eficácia gerencial.

O profissional responsável pela Controladoria, o “Controller”, gerencia um eficiente sistema de informações para manter o Executivo Principal (CEO) ou os gestores principais, informados sobre os rumos que a empresa deve tomar, baseados em suas análises e sugestões.

Os requisitos necessários para o cargo de “Controller” são:

a-) Profundo conhecimento do ramo de atividade da empresa.

b-) Conhecimento da história, dos objetivos, das metas, da cultura, dos problemas

      básicos, das oportunidades e estratégias da empresa.

c-) Conhecimento dos concorrentes, fornecedores e clientes com seus pontos fortes

      e fracos.

d-) Habilidade para analisar dados contábeis e estatísticos, suficiente para propor

      modelos, simulações e alternativas.

e-) Fluência oral e escrita, como também profundos conhecimentos dos princípios

      contábeis e fiscais que afetam o resultado da empresa.

f-) Iniciativa, visão econômica, comunicação racional, visão de futuro, visão das

     oportunidades de mercado e de negócios, persistência, cooperação,

     imparcialidade, cooperação e consciência de suas próprias limitações.

Ainda hoje estas funções estão distribuídas entre o Gerente Administrativo,

Gerente Financeiro e o Contador; mas, muitas empresas com visão de futuro estão chegando à conclusão que estes dados transformados em informações para tomada de decisões têm que ser centralizados em uma só fonte, a Controladoria.

Com a crise mundial já instalada nas empresas brasileiras e associada á globalização, tende a exigir maiores controles e uma rígida eficácia dos principais departamentos da empresa, tais como; Comercial, Marketing, Produção e Finanças.

O “Controller” passa a ter uma função estratégia, sendo o “Estrategista Empresarial de Negócios”, alimentando os profissionais ou gestores da organização com análises, informações e sugestões.

O “Controller” deve também participar de todas as principais reuniões, projetos, eventos e lançamentos da empresa para que possa reunir dados e informações, conhecendo profundamente o negócio em todos os seus aspectos.

Uma ferramenta que a Controladoria utiliza para monitorar as operações e a lucratividade é o “Budget” ou Orçamento Empresarial Anual, também denominado Planejamento Orçamentário Anual e até mesmo de Orçamento Base Zero ou Base Histórica.

Para o Planejamento Orçamentário, o que não deveria faltar nas empresas, mesmo nas de pequeno porte, a Controladoria tem que buscar dados em todos os departamentos, iniciando-se com uma previsão de Vendas.

O “Budget” ou Planejamento Orçamentário é composto de 4 peças principais, I- Lucros e Perdas, II- Plano de Investimentos, III- Fluxo de Caixa e IV-) Projeção do Balanço.

I-) Lucros e Perdas ou DRE (Demonstrativo do Resultado do Exercício)

  1. Previsão de Vendas por Produto, com quantidades e valores
  1. Custo dos Produtos, conforme estrutura de informações da empresa, com consumo de Matéria Prima e Materiais Auxiliares, que será utilizado na programação de compras e cálculo dos Produtos Vendidos ou fabricados.
  1. Previsão dos Impostos sobre Vendas, com definições aproximadas das regiões a serem enviados, com a identificação dos produtos, para facilitar o cálculo do IPI, ICMS, PIS, COFINS, com suas alíquotas, isenções e reduções da base de cálculo.
  1. Previsão das Despesas Variáveis, tais como, Fretes, Carretos, Comissões, etc. para o cálculo da Margem de Contribuição da empresa, e se possível por produto, identificando quais produtos estão com Margem de Contribuição baixa, ou até mesmo sem condições de cobrir as Despesas Fixas, para que não venha a comer o lucro dos demais produtos.
  1. Previsão das Despesas Fixas, aquelas que aturando ou não deverão ser pagas, tais como; Salários e Encargos de Fábrica e da Administração Geral, Aluguéis, Água, Luz, Telefone, etc.
  1. Lucro Antes do Imposto de Renda e da Contribuição Social, o conhecido LAIR, e aí ficara sabendo se a decisão que a empresa escolheu sobre o Regime Tributário foi acertada, tais como; Regime Tributário Simples Nacional, Regime Tributário do Lucro Presumido ou Regime Tributário do Lucro Real, respeitando suas regras, limites e permissões.

II-) Plano de Investimentos, fundamental, pois irão constar todos os investimentos em Máquinas, Equipamentos, Imóveis, Construções, Reformas, Ampliações, etc., com um cronograma de datas e dos gastos por tipo de investimento; estes dados ser colocados no Fluxo de Caixa como saída de dinheiro.

III-) Fluxo de Caixa ou Cash Flow, peça também fundamental nas organizações, está divido em:

 Entradas de Recursos ou Recebimentos, como Duplicatas a Receber ou Conta Clientes, Vendas a Vista, Juros Recebidos, Outras Entradas.

Saídas de Recursos ou Pagamentos, como, Fornecedores, Salários, Encargos, Impostos, outros pagamentos, etc.

Saldo Disponível de Recursos, que irá informar diariamente, semanalmente ou mensalmente, sua disponibilidade ou necessidade de dinheiro, antecipando uma busca de recursos em banco para cobrir o déficit de caixa.

IV-) Projeção do Balanço, nem todas as empresas fazem uma projeção de Balanço, principalmente as pequenas que se utilizam dos serviços de um Escritório de Contabilidade, usam somente uma projeção de Lucros e Perdas ou DRE.

Depois de todo esse trabalho de busca de dados monta-se o Planejamento ou “Budget” e a Controladoria irá monitorar e comparar mês a mês o que foi previsto com o realizado para se ter a certeza que o resultado final possa ser alcançado.

Autor: Cláudio Raza; gestor de negócios: www.claudioraza.com.br  – c.raza@terra.com.br

Escreva um comentário