GESTÃO TÓXICA E POLÍTICAS INTERNAS ULTRAPASSADAS

Quando ir ao trabalho torna-se um sacrifício ou ao voltar dele um cansaço e dor no corpo é sinal de que você está no emprego errado e precisa urgentemente de mudanças.

Muitos profissionais não aguentam as pressões sem sentido, desorganização interna, cultura empresarial familiar, metas impossíveis e clima organizacional pesado, isso tem aumentado os pedidos de demissões, mas nem todos tem a facilidade de mudar de empregos, principalmente com um índice recente de mais de 14% de desempregados.

Os gerentes, gestores ou líderes tóxicos, adotam posturas autocráticas, sem espaço para o diálogo dos colaboradores, o que gera excesso de pressão e o funcionário se sente encurralado, estressado e prejudica seu rendimento, ansiedade em alto grau, insônia, desequilíbrio emocional, depressão e em alguns casos gera “assédio moral”, se for constante.

Alguns motivos mais comuns do pedido de demissão relatados nas entrevistas de desligamento; a falta de confiança no trabalho do funcionário, a empresa não tem metas claras e objetivas, mas cobra como se tivesse transparência em relação às mesmas; alto nível de pressão por resultado; não dá apoio ao funcionário frente a problemas com clientes; ignora o excesso de trabalho do funcionário e não toma medidas para resolver; não dá autonomia; uso de comparações pejorativas para falar de falhas, erros e não atingimento de metas na frente de outros colaboradores.

A pirâmide de Maslow mostra que nem todas as necessidades humanas estão ligadas ao ganho financeiro, em sua teoria, ele representa, da base ao topo, as diversas motivações humanas na vida, em ordem crescente; as necessidades fisiológicas, a segurança, a social, a estima e a autorrealização.

A cultura organizacional de algumas empresas, principalmente as familiares, que são os hábitos, crenças, valores e comportamentos em um ambiente de trabalho e que definem como uma determinada empresa conduz seus negócios, as vezes colocadas por seus fundadores há vários e vários anos atrás, com manuais e regulamentos internos desatualizados, não se encaixam mais na realidade atual de novos profissionais e na dinâmica de mercado.

Hoje, os profissionais mais novos, buscam clima organizacional favorável, plano de carreira, possibilidades de crescimento na empresa, liberdade de horários, autonomia para aplicar novas ideias e métodos, e não normas rígidas quanto a vestimenta, regulamentos antiquados, chefias ou gestão sufocantes ou tóxicas.

Manter os funcionários e colaboradores motivados é um desafio tão grande quanto entender o comportamento do consumidor.

Se o departamento de RH da sua empresa está procurando formas de engajar e motivar os funcionários, é preciso repensar suas ações de forma a satisfazer as necessidades de acordo com a hierarquia das motivações; não deixe essa importante função só para os gestores, eles poderão estar precisando de um profissional especializado para tal.

Fonte: https://www.xerpa.com.br/blog/cultura-organizacional/

Autor: Claudio Raza: mestre em comunicação e administração; provocador do conhecimento. www.claudioraza.com.brc.raza@terra.com.br

Escreva um comentário