LATO SENSU OU STRICTO SENSU: AS DIFERENÇAS ENTRE OS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e, por conta disso, a busca por cursos que tragam especialização e maiores oportunidades de emprego tem crescido consideravelmente. A prova disso é que os cursos de pós-graduação estão sendo cada vez mais procurados e necessários.

Muitos estudantes, ao formarem na graduação, sonham fazer uma pós-graduação, mas ainda possuem algumas dúvidas sobre qual tipo escolher. Aqueles que tem em mente atuar na área acadêmica devem seguir um caminho, enquanto os que desejam fazer uma especialização e atuar diretamente no mercado de trabalho, devem ir por outro.

As opções de pós-graduação existentes são Lato Sensu ou Stricto Sensu e se diferem em pontos bem específicos.
A pós-graduação Lato Sensu

Lato Sensu significa “em sentido amplo” e compreende os cursos de pós-graduação voltados para alguma especialização. Somente poderão participar de um curso Lato Sensu aqueles que tiverem concluído alguma graduação, independente da área. Normalmente, a pós-graduação é escolhida por aqueles que já trabalham, seja para auxiliar na sua profissão, no seu emprego atual ou para buscar novas oportunidades (reposicionamento do mercado de trabalho).

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), os cursos da modalidade Lato Sensu devem ter, no mínimo, 360 horas de duração. Os alunos que completarem essa pós-graduação não receberão um diploma, mas um certificado comprovando a conclusão do curso.
Um exemplo de Lato Sensu é o Master Business Administration (MBA). No exterior, o MBA é considerado como um mestrado, mas, no Brasil, somente como uma especialização na área de administração.

A pós-graduação Lato Sensu pode ser ministrada em cursos presenciais ou a distância. As universidades que desejam oferecer uma pós-graduação Lato Sensu presencial não dependem da aprovação ou do reconhecimento do Ministério da Educação, já aquelas instituições que pretendem disponibilizá-la a distância precisam ter o credenciamento que permite oferecer essa modalidade junto ao MEC.

A pós-graduação Stricto Sensu
Stricto Sensu significa “em sentido limitado”, ou seja, essa pós-graduação está restrita aos cursos de mestrado e doutorado. Assim como no Lato Sensu, os alunos que desejam fazer um curso Stricto Sensu devem ter concluído uma graduação.
Normalmente, os alunos que optam por fazer um mestrado e um doutorado, são aqueles que desejam seguir uma carreira acadêmica, seja dando aulas ou atuando em projetos, pesquisas, etc. Mas nada impede que o aluno faça um mestrado profissional, que é uma pós-graduação Stricto Sensu voltada para o mercado de trabalho.

No mestrado profissional, o aluno deve apresentar um trabalho, que pode ser uma monografia em forma de um estudo de caso ou um projeto a respeito de determinado tema.

O mestrado costuma ser realizado por aqueles alunos que desejam atuar como professores e é exigida do aluno a proficiência em outra língua, geralmente o inglês. No término do curso o aluno deve preparar uma dissertação, que apresenta todo o estudo desenvolvido e defender os resultados e a motivação da linha de pesquisa escolhida.

O doutorado prepara alunos para atuar no campo de pesquisa, tornando o conhecimento em determinado assunto mais aprofundado. Ao concluir o doutorado é necessário que haja a defesa de uma tese, esta defesa é mais aprofundada do que a defesa do mestrado, geralmente é proposto um tema novo, um estudo de algo ainda não abordado.

Os cursos de mestrado podem durar até 3 anos e o doutorado até 5 anos. Obviamente que dependendo da dedicação do aluno as matérias e créditos obrigatórios e o desenvolvimento da dissertação/tese estão diretamente relacionados no tempo total necessário.

Ao contrário do Lato Sensu, os alunos que se formam mestres ou doutores recebem um diploma ao invés de um certificado e os cursos são submetidos à aprovação e reconhecimento do Ministério da Educação.
Fonte: http://www.mundovestibular.com.br/

Escreva um comentário