NEM TODOS SÃO EMPREENDEDORES OU ENXERGAM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

Em 2017, no Brasil, a taxa total de empreendedorismo foi de 36,4%, o que significa que de cada 100 brasileiros e brasileiras adultos (18 – 64 anos), 36 deles estavam conduzindo alguma atividade empreendedora, quer seja na criação ou aperfeiçoamento de um novo negócio, ou na manutenção de um negócio já estabelecido.

Em números absolutos, hoje isso representa dizer que é de quase 80 milhões o contingente de brasileiros que já empreendem e ou realizaram, alguma ação visando a criação de um empreendimento.

José Dornelas (2001), cita que “Empreendedor é aquele que faz as coisas acontecerem, se antecipa aos fatos e tem uma visão futura da organização” e ainda, “o empreendedorismo é o combustível para o crescimento econômico, criando empregos e prosperidade”.

Mas, não é necessário abrir uma empresa para ser um empreendedor. Você pode fazer mudanças dentro do seu ambiente de trabalho e trazer melhorias para a organização. Dessa maneira, você pratica uma atitude empreendedora e consegue crescer junto com a empresa que trabalha.

Os empreendedores inovadores são aqueles que enxergam oportunidades ainda não exploradas e desenvolvem produtos ou serviços novos no mercado. Essas empresas são frequentemente chamadas de “startups”. Podemos afirmar que empreendedorismo está intimamente associado a visão, inovação e criatividade.

O empreendedor pode ser classificado de várias formas: o informal, o individual, o franqueado, o digital, o inovador, o cooperativo, o social e outros mais que surgirão. O empreendedor é aquele que, quando tem uma meta, não dorme no ponto e faz a própria oportunidade, sem medo de colocar a mão na massa.

Mais do que isso: empreender é resolver problemas por meio da inovação, gerando, com isso, um impacto positivo na sociedade ao mesmo tempo em que movimenta a economia.

A visão empreendedora por sua vez, é a capacidade de enxergar algo antes de todo mundo. Sabe aquele olhar diferente que alguém teve sobre algo e você pensa: “Caramba! Por que não pensei nisso antes?”. É exatamente disso que se trata a visão; mas, não adianta ter visão se não houver coragem para colocar em prática. Nós vivemos em uma sociedade que ainda se prende muito à questão da estabilidade, do salário no fim do mês, de carteira assinada, do plano de saúde da empresa.

Hoje a realidade não é mais a mesma, estamos a deriva como um barco sem rumo, pensando no que fazer; empreender ou buscar um novo emprego! o bom empreendedor deve saber que assumir riscos é algo inerente aos negócios. Também, momentos de crise podem ser vistos como oportunidades de fortalecimento das empresas e novos negócios.

Oportunidades de negócios, por incrível que pareça está associado a: Mercado retraído, demissões em massa, dificuldade financeira e instabilidade entre os investidores; esse cenário não parece nada atraente, não é mesmo?  Isso porque esses períodos de instabilidade econômica podem ser a porta a grandes possibilidades para empresários com uma boa visão de negócio, capazes de entender as demandas do seu público e ainda de ter ideias criativas e inovadoras.

No link, artigo que escrevi; https://www.linkedin.com/pulse/agora-%C3%A9-vez-do-pequeno-neg%C3%B3cio-pr%C3%B3prio-claudio-raza/, você encontrará, algumas dicas de oportunidades de negócios empreendedores que você viu, mas ainda não enxergou.

Fontes:  Livro – Empreendedorismo Transformando Ideias em Negócios – José Carlos Assis Dornelas –  https://blog.madbraindigital.com.br; https://tiinside.com.bra;   Eloiza Amaral – (https://plataformafasttrade.com.br; https://m.sebrae.com.br; https://neilpatel.com/br/blog/tipos-de-empreendedorismo. 

Autor: Claudio Raza: gestor de negócios e mestre em comunicação. www.claudioraza.com.br

c.raza@terra.com.br

Escreva um comentário