O BRASIL SÓ VOLTARÁ A CRESCER CASO OS TRÊS PODERES NÃO ATRAPALHAREM MAIS

Nossa economia é como o voo da galinha, baixo e curto e os motivos que levaram a atual situação econômica do Brasil são vários, alguns deles merecem uma análise especial. O primeiro deles é a total falta de investimentos nos últimos 36 anos, em infraestrutura (Portos, aeroportos, rodovias e ferrovias), em educação, saúde, habitação e segurança, que tem levado o país a perder competitividade tanto interna quanto externa.

O segundo motivo foi a total falta de planejamento de longo prazo para nossa economia. O governo brasileiro nunca planejou mais do que quatro anos, operação tapa buraco, onde medidas são adotadas para tratarem problemas que seriam facilmente resolvidos se houvesse um planejamento macro, a longo prazo e que cada governante respeitasse o planejamento.

O terceiro e mais grave é a submissão da política econômica à política partidária, o país é governado de acordo com o partido que está no poder, sem levar em consideração as necessidades do povo. Isso tem levado a uma desestruturação da máquina pública que vem prejudicando todos os setores da sociedade, como a educação, saúde pública, segurança e obviamente a economia.

O quarto motivo é a falta de credibilidade tanto interna quanto externa. Com escândalos se acumulando e a impunidade caminhando a passos largos, o governo não teria credibilidade suficiente para contar com apoio dos diversos setores da economia nacional. Este é o problema que nos deixa temerosos em relação ao futuro. As empresas Estatais sendo assaltadas por poderes políticos, os magistrados foram indicados pelos governos anteriores e não tem a confiança do povo.

Sem medidas duras e coordenadas, a situação econômica do Brasil tende a se agravar, e em meio a um quadro recessivo de maiores proporções, se os atuais senadores e deputados federais não entrarem em sintonia para aprovar as medidas e reformas necessárias.

Uma retomada da economia brasileira dependerá exclusivamente do atual Governo, pois segundo todas as análises, foram os dois últimos governos quem não fez seu papel, somente olhou para o social, distribuiu privilégios aos afetos do partido e fez vistas grossas para a corrupção.

Enquanto o agronegócio, o comércio, a indústria e serviços davam seu máximo para atingir patamares de produtividade e competitividade, o Governo falhava no planejamento, na infraestrutura e na política fiscal.

A reforma tributária, a contenção de gastos públicos, a reforma política, são inevitáveis para provocarmos uma reversão da atual situação econômica do Brasil.

A atual situação econômica do Brasil pode ser revertida, mas se depender apenas dos empreendedores, sem a colaboração do governo, fica impossível. O Senado e a Câmara dos Deputados estão totalmente desacreditados por não aprovar matérias de interesse do país, mas visa apenas os interesses próprios dos parlamentares. O Judiciário, virou mais um partido político com decisões monocráticas do que uma instituição com decisões coletivas. O Executivo fala demais e cria problemas políticos para a economia,

A indústria o comércio e os serviços, estão fechando as portas ou parados, devido a pandemia e decisões não confiáveis dos governadores e prefeitos e falta de conhecimento e interesse de nosso povo ajudou a levar o país a situação atual.

Autor: Claudio Raza – economista. www.claudioraza.com.brc.raza@terra.com.br

Escreva um comentário