STARTUP – INCUBADORAS e ACELERADORAS

Startup � um tipo espec�fico de empresa.

Antes de mais nada, vamos esclarecer uma confus�o: muita gente pensa que startup � toda empresa que est� come�ando � j� que �start up� pode ser traduzido como �come�ar�. Mas essa n�o � a defini��o mais aceita de startup.

Uma startup � uma organiza��o constru�da para encontrar um modelo de neg�cios repet�vel e escal�vel.� Steve Blank

A defini��o mais aceita de startup � a do Steve Blank: uma empresa � considerada uma startup quando ainda est� em busca de um modelo de neg�cios vi�vel que seja repet�vel e escal�vel. Um modelo de neg�cios repet�vel � aquele capaz de vender o mesmo produto para todos os clientes. J� um modelo de neg�cios escal�vel � aquele capaz de crescer para atender grandes quantidades de clientes.

Al�m disso, as startups s�o empresas inovadoras, de maneira incremental ou disruptiva. Encontrar um modelo de neg�cios que seja vi�vel, repet�vel, escal�vel e inovador n�o � nada f�cil. Existem v�rias incertezas envolvidas, por exemplo: se existem clientes para o produto, se o modelo � realmente lucrativo, se � poss�vel executar o modelo. E � por isso que toda startup � um empreendimentos de alto risco � � muito mais seguro abrir um restaurante, por exemplo, do que come�ar uma startup.

Defini��es Famosas de Startup
“Uma startup � uma organiza��o constru�da para encontrar um modelo de neg�cios repet�vel e escal�vel.”� Steve Blank
“Uma startup � uma organiza��o projetada para crescer rapidamente.”� Paul Graham
“Uma startup � uma institui��o humana designada a entregar um novo produto ou servi�o sob condi��es de extrema incerteza.”� Eric Ries

Exemplo: Facebook VS. Padaria

Vamos comparar duas empresas que voc� conhece: o Facebook e a padaria onde voc� compra p�o.

O primeiro motivo pelo qual a padaria n�o � uma startup � o fato de que ela tem um modelo de neg�cios bem definido. Isso quer dizer que j� existe uma maneira bem testada de operar uma padaria � compra o trigo dali, os latic�nios dali, contrata tantos funcion�rios por unidades de venda, vende o p�o aqui, etc. � de conhecimento comum que este tipo de neg�cio � vi�vel e funciona. J� uma startup como o Facebook, n�o tem muitas certezas sobre o modelo de neg�cios. O Facebook nem sempre teve � e talvez ainda n�o tenha � uma forma de receita bem definida. Isso porque na maioria das vezes o dinheiro que vem de publicidade n�o � o suficiente para manter um neg�cio desse porte. O fato de que o Facebook continua procurando uma maneira de aumentar a receita e ser lucrativo coincide com a primeira caracter�stica de uma startup: ainda est� a procura de um modelo de neg�cios vi�vel.

O segundo diferencial � que uma padaria n�o � repet�vel, isto �, n�o consegue vender o mesmo p�o para v�rios clientes. Para cada cliente, ela precisa fabricar mais p�es, comprar mais latic�nios, mais caf�, etc. J� o Facebook s� precisa desenvolver o c�digo uma vez e pode distribuir para todos os clientes, o que � a segunda caracter�stica de uma startup, ser repet�vel.
Por fim, uma padaria n�o tem um modelo de neg�cios escal�vel, ou seja, n�o consegue crescer para atender grandes quantidades de clientes. Uma padaria n�o consegue atender outro pa�s, outro estado, outra cidade e, �s vezes, nem mesmo outro bairro, enquanto o Facebook atende o mundo inteiro, que � �ltima caracter�stica de uma startup, a capacidade de escalar.
Assim fica claro que o Facebook � uma startup e a padaria n�o � mesmo se ela estiver apenas come�ando.
Fonte: http://ramonkayo.com/

INCUBADORA OU ACELERADORA?

Saiba quais s�o as principais diferen�as entre as duas e qual � mais adequada para a sua empresa Por Felipe Matos – 03/06/2013

Para come�ar, � muito bacana estrear uma coluna que vai ajudar empreendedores a desenvolver e acelerar seus neg�cios. Como sou empreendedor em s�rie desde os 16 anos, busquei diversas vezes esse tipo de apoio e contei com a ajuda de muitos mentores e leituras como esta ao longo de minha trajet�ria. Hoje, � bom retribuir e compartilhar o que aprendi. Bem-vindos a bordo!

Voc� provavelmente j� ouviu falar de incubadoras e aceleradoras de empresas. No Brasil, j� existem mais de 300 incubadoras e cerca de 30 aceleradoras. Estas, embora sejam mais recentes, tamb�m t�m crescido em quantidade e qualidade.

Mas, afinal, o que � uma aceleradora e o que a diferencia das incubadoras?

Ambas s�o organiza��es criadas para auxiliar empreendedores na etapa inicial do neg�cio, ou seja, na estrutura��o. T�m como foco empreendimentos inovadores e com alto potencial de crescimento, especialmente no setor de tecnologia.

A principal diferen�a entre elas est� no modelo de neg�cio. Enquanto a incubadora normalmente n�o tem fins lucrativos e � mantida por institui��es p�blicas, a aceleradora � privada, tem fins lucrativos e � mantida por investidores que esperam ganhar dinheiro com o retorno da venda das a��es da empresa acelerada.

O lucro da aceleradora, portanto, est� diretamente relacionado ao sucesso dos neg�cios. Essa diferen�a faz que ela tenha um pacote de servi�os mais orientado � gera��o r�pida de resultados por parte do empreendimento acelerado.

Outra diferen�a importante est� na oferta de servi�os e nas contrapartidas exigidas da empresa. Enquanto a incubadora oferece basicamente infraestrutura e espa�o f�sico, a aceleradora proporciona suporte de gest�o, com mentorias e orienta��es de profissionais muito qualificados, que ajudam a ampliar a rede de relacionamentos do empreendedor.

A participa��o em uma incubadora pode ser gratuita ou mediante pagamento de taxas subsidiadas pelo empreendedor, que n�o recebe qualquer tipo de investimento de capital em seus neg�cios. J� para participar de uma aceleradora, � preciso ceder a ela parte das a��es da empresa acelerada em troca de investimento de capital.

Muitos dizem que o modelo de aceleradora � a evolu��o natural

das incubadoras. Embora, em parte, isso seja verdade e vejamos cada vez mais incubadoras absorvendo elementos do neg�cio da aceleradora, as duas t�m suas vantagens e o momento adequado na vida da empresa.

Conhe�o v�rios casos de empreendimentos que, ap�s passarem por um programa de acelera��o, foram incubados e come�aram a receber espa�o f�sico e apoio de uma incubadora. O contr�rio tamb�m acontece, com empresas incubadas participando de programas de acelera��o para refor�ar a gest�o e a rede de contatos. O fato � que tanto incubadoras quanto aceleradoras oferecem apoios importantes para os neg�cios em fase inicial.

Para finalizar, vale dizer que

ambas n�o auxiliam qualquer tipo de neg�cio. Se a sua empresa n�o � inovadora, se n�o oferece um produto ou servi�o com alto potencial de crescimento e se faz pouco uso de tecnologia, talvez esse apoio n�o seja para voc�.

Seguem alguns links com as principais aceleradoras do pa�s:
� 21212
� Aceleradora
� Acelera Brasil � Microsoft Participa��es
� Acelera MG – Fumsoft
� Aceleratech
� OutsourceBrasil
� Papaya
� Pipa
� Start YouUp
� Treelabs
� Wayra
Mais dois links, agora de eventos:
� Startup Farm
� StartupiCamp

Felipe Matos � COO do Programa Start-Up Brasil, fundador da aceleradora digital Startup Farm e s�cio-fundador do Instituto Inova��o. J� atuou como CEO, investidor, mentor e conselheiro de startups brasileiras e no Vale do Sil�cio.

Escreva um comentário