STARTUP – INCUBADORAS e ACELERADORAS

Startup é um tipo específico de empresa.

Antes de mais nada, vamos esclarecer uma confusão: muita gente pensa que startup é toda empresa que está começando – já que “start up” pode ser traduzido como “começar”. Mas essa não é a definição mais aceita de startup.

Uma startup é uma organização construída para encontrar um modelo de negócios repetível e escalável.— Steve Blank

A definição mais aceita de startup é a do Steve Blank: uma empresa é considerada uma startup quando ainda está em busca de um modelo de negócios viável que seja repetível e escalável. Um modelo de negócios repetível é aquele capaz de vender o mesmo produto para todos os clientes. Já um modelo de negócios escalável é aquele capaz de crescer para atender grandes quantidades de clientes.

Além disso, as startups são empresas inovadoras, de maneira incremental ou disruptiva. Encontrar um modelo de negócios que seja viável, repetível, escalável e inovador não é nada fácil. Existem várias incertezas envolvidas, por exemplo: se existem clientes para o produto, se o modelo é realmente lucrativo, se é possível executar o modelo. E é por isso que toda startup é um empreendimentos de alto risco – é muito mais seguro abrir um restaurante, por exemplo, do que começar uma startup.

Definições Famosas de Startup
“Uma startup é uma organização construída para encontrar um modelo de negócios repetível e escalável.”— Steve Blank
“Uma startup é uma organização projetada para crescer rapidamente.”— Paul Graham
“Uma startup é uma instituição humana designada a entregar um novo produto ou serviço sob condições de extrema incerteza.”— Eric Ries

Exemplo: Facebook VS. Padaria

Vamos comparar duas empresas que você conhece: o Facebook e a padaria onde você compra pão.

O primeiro motivo pelo qual a padaria não é uma startup é o fato de que ela tem um modelo de negócios bem definido. Isso quer dizer que já existe uma maneira bem testada de operar uma padaria – compra o trigo dali, os laticínios dali, contrata tantos funcionários por unidades de venda, vende o pão aqui, etc. É de conhecimento comum que este tipo de negócio é viável e funciona. Já uma startup como o Facebook, não tem muitas certezas sobre o modelo de negócios. O Facebook nem sempre teve – e talvez ainda não tenha – uma forma de receita bem definida. Isso porque na maioria das vezes o dinheiro que vem de publicidade não é o suficiente para manter um negócio desse porte. O fato de que o Facebook continua procurando uma maneira de aumentar a receita e ser lucrativo coincide com a primeira característica de uma startup: ainda está a procura de um modelo de negócios viável.

O segundo diferencial é que uma padaria não é repetível, isto é, não consegue vender o mesmo pão para vários clientes. Para cada cliente, ela precisa fabricar mais pães, comprar mais laticínios, mais café, etc. Já o Facebook só precisa desenvolver o código uma vez e pode distribuir para todos os clientes, o que é a segunda característica de uma startup, ser repetível.
Por fim, uma padaria não tem um modelo de negócios escalável, ou seja, não consegue crescer para atender grandes quantidades de clientes. Uma padaria não consegue atender outro país, outro estado, outra cidade e, às vezes, nem mesmo outro bairro, enquanto o Facebook atende o mundo inteiro, que é última característica de uma startup, a capacidade de escalar.
Assim fica claro que o Facebook é uma startup e a padaria não – mesmo se ela estiver apenas começando.
Fonte: http://ramonkayo.com/

INCUBADORA OU ACELERADORA?

Saiba quais são as principais diferenças entre as duas e qual é mais adequada para a sua empresa Por Felipe Matos – 03/06/2013

Para começar, é muito bacana estrear uma coluna que vai ajudar empreendedores a desenvolver e acelerar seus negócios. Como sou empreendedor em série desde os 16 anos, busquei diversas vezes esse tipo de apoio e contei com a ajuda de muitos mentores e leituras como esta ao longo de minha trajetória. Hoje, é bom retribuir e compartilhar o que aprendi. Bem-vindos a bordo!

Você provavelmente já ouviu falar de incubadoras e aceleradoras de empresas. No Brasil, já existem mais de 300 incubadoras e cerca de 30 aceleradoras. Estas, embora sejam mais recentes, também têm crescido em quantidade e qualidade.

Mas, afinal, o que é uma aceleradora e o que a diferencia das incubadoras?

Ambas são organizações criadas para auxiliar empreendedores na etapa inicial do negócio, ou seja, na estruturação. Têm como foco empreendimentos inovadores e com alto potencial de crescimento, especialmente no setor de tecnologia.

A principal diferença entre elas está no modelo de negócio. Enquanto a incubadora normalmente não tem fins lucrativos e é mantida por instituições públicas, a aceleradora é privada, tem fins lucrativos e é mantida por investidores que esperam ganhar dinheiro com o retorno da venda das ações da empresa acelerada.

O lucro da aceleradora, portanto, está diretamente relacionado ao sucesso dos negócios. Essa diferença faz que ela tenha um pacote de serviços mais orientado à geração rápida de resultados por parte do empreendimento acelerado.

Outra diferença importante está na oferta de serviços e nas contrapartidas exigidas da empresa. Enquanto a incubadora oferece basicamente infraestrutura e espaço físico, a aceleradora proporciona suporte de gestão, com mentorias e orientações de profissionais muito qualificados, que ajudam a ampliar a rede de relacionamentos do empreendedor.

A participação em uma incubadora pode ser gratuita ou mediante pagamento de taxas subsidiadas pelo empreendedor, que não recebe qualquer tipo de investimento de capital em seus negócios. Já para participar de uma aceleradora, é preciso ceder a ela parte das ações da empresa acelerada em troca de investimento de capital.

Muitos dizem que o modelo de aceleradora é a evolução natural das incubadoras. Embora, em parte, isso seja verdade e vejamos cada vez mais incubadoras absorvendo elementos do negócio da aceleradora, as duas têm suas vantagens e o momento adequado na vida da empresa.

Conheço vários casos de empreendimentos que, após passarem por um programa de aceleração, foram incubados e começaram a receber espaço físico e apoio de uma incubadora. O contrário também acontece, com empresas incubadas participando de programas de aceleração para reforçar a gestão e a rede de contatos. O fato é que tanto incubadoras quanto aceleradoras oferecem apoios importantes para os negócios em fase inicial.

Para finalizar, vale dizer que ambas não auxiliam qualquer tipo de negócio. Se a sua empresa não é inovadora, se não oferece um produto ou serviço com alto potencial de crescimento e se faz pouco uso de tecnologia, talvez esse apoio não seja para você.

Seguem alguns links com as principais aceleradoras do país:
• 21212
• Aceleradora
• Acelera Brasil – Microsoft Participações
• Acelera MG – Fumsoft
• Aceleratech
• OutsourceBrasil
• Papaya
• Pipa
• Start YouUp
• Treelabs
• Wayra
Mais dois links, agora de eventos:
• Startup Farm
• StartupiCamp

Felipe Matos é COO do Programa Start-Up Brasil, fundador da aceleradora digital Startup Farm e sócio-fundador do Instituto Inovação. Já atuou como CEO, investidor, mentor e conselheiro de startups brasileiras e no Vale do Silício.

Escreva um comentário